Peru, uma escapada gastronômica.

Oi pessoal.

Minha última aventura gastromônica como Viajante Digital pelo Escapadas Online foi no Peru. Um maravilhoso país repleto de cultura, história, tradições e uma das mais aclamadas culinárias da atualidade em todo o mundo.

Em Lima, quase nunca chove!

Não é exagero não! O pessoal lá, manda muito bem na cozinha!

Ceviche e suas variações

É uma profusão de ingredientes de excelente qualidade que deixa qualquer amante de gastronomia maluco! Frutas, legumes, verduras, temperos e fantásticos frutos do mar são servidos fresquissimos em inúmeros restaurantes.

Frutos do mar do Oceano Pacífico

Não à toa nos últimos quinze anos, o país tem apresentado ao mundo chefs de primeira grandeza como os famosos Gastón Acurio, Marisa Guiulfo e Virgilio Martínez.

Marisa Guiulfo – Restaurante La Bonbonniere em Lima
Virgilio Martínez – Restaurante Central em Lima

Participar de uma experiência gastronômica em um dos premiados restaurantes de Lima é algo inesquecível!

Antes de compartilhar os detalhes da viagem, aqui vão algumas informações básicas e essenciais para quem está namorando o destino:

  • Moeda = Novo Sol.

  • 1 dólar = 3,22 soles (Conversão feita em julho de 2018)

  • Língua oficial = Espanhol (É possível se comunicar falando em português calmamente. Geralmente os peruanos são atenciosos e prestativos.)

  • Fuso horário = – 2 horas  do horário de Brasília (essa diferença pode variar durante o horário de verão).

  • A voltagem padrão é 220V

  • Táxi é barato e existe a opção do uber! Muitas atividades podem ser feitas a pé.

  • O país é um dos mais seguros das Américas, sendo que a existência de graves problemas envolvendo turistas, é quase inexistente.

Documentação necessária:

  • Brasileiros que viajam a negócios ou turismo e permanecem até 90 dias em viagem não precisam de visto para entrar no território peruano.

  • Não é obrigatório ter passaporte. Você pode fazer a imigração levando passaporte ou RG dentro do prazo de validade (10 anos) e desde que esteja em perfeitas condições.

  • É necessário levar o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) e ter a vacina da Febre Amarela válida. Para isso basta buscar no site da ANVISA um posto de saúde que aplique e emita certificado de febre amarela internacional: https://viajante.anvisa.gov.br/viajante/

Agora vamos para a experiência…

Miraflores – Lima/Peru

DIA 1: LIMA – CITY TOUR

No primeiro dia em terras peruanas fizemos um city tour para nos ambientar. Visitamos o centro histórico de Lima, reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. Passeamos pela Praça das Armas, Catedral de Lima, Casa Aliaga e o Museu Larco que conta com a mais completa coleção pré-hispânica de peças de ouro e prata, assim como também de arte erótica. Na visita ao museu é possível entrar no clima limeño e começar a entender melhor as crenças e simbologias que fazem parte da cultura peruana, fundamentadas nos registros Incas e Pré-Incas. Dentro do museu existe um restaurante super charmoso, uma ótima pedida para um break e café.

O calçadão de Miraflores e o Oceano Pacífico

DIA 2: LIMA – CUSCO

Um transfer nos buscou no hotel em Miraflores, um dos mais charmosos e gastronômicos bairros da capital peruana. E, nos levou até ao aeroporto onde pegamos vôo até Cusco, o trajeto aéreo leva aproximadamente 1h20min.

A pitoresca e lindíssima cidade fica à 3400m de altitude no sudeste do Vale Sagrado dos Incas, na região dos Andes. Muita gente sofre fisicamente pela altura, principalmente na primeira vez. Aqui vão algumas dicas para evitar mal estar: Beba muita água, evite esforços físicos e bebidas alcoólicas nas primeiras 24 horas. Chá de coca é ótimo até às 16h, depois a recomendação é chá de muña (menta andina). Já que, a coca pode tirar o sono pela cafeína, já a menta é tranquilizante.

Catedral de Cusco e a Plaza de Armas

DIA 3: EXPERIÊNCIA MARAS

Salineiras de Maras

O Vale Sagrado é reconhecido como um lugar abençoado principalmente pela abundância de água. As Salinas de Maras ficam nesta região na província de Urubamba, a 46 km de Cusco. E, são formadas por uma corrente de água natural salgada subterrânea do degelo das montanhas e flui até um complexo sistema, desenvolvido pela sabedoria inca, de pequenos canais construídos de modo que a água corre e fica depositada em centenas de pequenas lagoas em forma de escadas. Como durante o dia as temperaturas são altas com muito sol, a água evapora formando assim os depósitos de sal.

Nas salinas o trabalho é totalmente artesanal. No momento certo trabalhadores raspam e colhem o sal manualmente. Há três camadas de sal na formação dos depósitos e cada uma delas tem uma função. Primeira – Cristal (alimentação); Segunda – Rosado (sal gourmet);  Terceira – Sal medicinal (ideal para banhos). A paisagem é única, aproveitem!!!

Turismo comunitário no Peru – Experiência única e inigualável

Depois de conhecer as Salinas de Maras, visitamos a casa de Dona Carmen e seu filho Almircar num povoado em Urubamba. Preparamos há seis mãos um dos pratos mais tradicionais da região, a sopa de quinua. Durante a experiência foi possível entender melhor os costumes e o dia a dia de quem vive no abençoado Vale Sagrado. Experiência única e inesquecível.

Ovelhas nos Andes

DIA 4: PACHAMANCA

A experiência Pachamanca

A pachamanca é um preparo festivo muito tradicional e presente no cotidiano dos peruanos. Sua representatividade pode ser comparada ao churrasco brasileiro. Em quéchua, língua inca, pachamanca significa pote de terra. E, funciona assim, a refeição é preparada dentro de um buraco na terra com pedras muito quentes. Onde diferentes tipos de carnes (cordeiro, boi, porco e frango), raízes – principalmente variedade de batatas, aromáticos e milhos são acomodados, cobertos com uma tela de proteção e, enterrados, literalmente com terra. Após aproximadamente quinze minutos de cocção, o processo acontece rapidamente pela alta temperatura, os alimentos são retirados e servidos. Nesta experiência, além de acompanhar o passo a passo da pachamanca, desfrutamos o almoço com uma linda paisagem das montanhas cobertas com gelo.

DIA 5: MACHU-PICCHU

Machu Picchu – Uma das sete maravilhas do mundo!

Machu Picchu, significa “Montanha Velha”, é considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e uma das novas sete maravilhas do mundo. Antes de visitar o complexo, muitas pessoas falaram sobre a energia diferenciada do lugar. Só vivenciando para entender. Sem dúvidas é parada obrigatória no destino Peru.

DIA 6: CUSCO – LIMA

O deslumbrante visual dos Andes

Neste dia voamos de volta à Lima para curtir toda a variedade de opções gastronômicas da capital peruana. Ficamos hospedados novamente no famoso bairro de Miraflores e exploramos as opções de restaurantes do entorno. Ah! Era jogo do Brasil, e não deixamos de acompanhar o nosso time. Garantimos lugar no restaurante La Mar comandado pelo renomado chef Gastón Acúrio e ficamos lá curtindo ceviches, pisco sour e futebol. Infelizmente não deu bom para o Brasil.

Gastón Acurio – Restaurante Astrid y Gastón em Lima

DIA 7: EXPERIÊNCIA QINCHA

Os guias – Informações valiosas durante os passeios

Passeamos de carro pela orla de Lima banhada pelo oceano Pacífico – No trajeto apreciamos a beleza dos bairros Barranco, Miraflores, Malecón e pelo Parque do Amor, com destino ao restaurante Qincha, frente ao mar. A experiência gastronômica do último dia de viagem foi participar de uma aula de cozinha e coquetelaria com o chef de cozinha e barman do restaurante, que ensinaram  receitas de clássicos peruanos: Pisco sour, ceviche e causa limenã. Tudo que fizemos degustamos.

DIA 8: LIMA – SP

Voltamos para a nossa querida Paulicéia. Já morrendo de saudades desse apaixonante país que é o Peru! E, com fome de uma próxima viagem gastromônica. Que ela não demore para chegar!

Quer saber todos os detalhes dessa fantástica experiência e escolher sua data para embarque? É só clicar AQUI e boa viagem!

GOSTARIA DE COMENTAR ESSE POST?